Servidores fazem nova jornada de lutas de 4 a 7 de julho em Brasília

Em reunião do seu Conselho Deliberativo de Entidades (CDE) na sexta-feira (24/6), a Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Federal (Condsef/Fenadsef) e filiadas de estados e o Distrito Federal reforçaram participação em um calendário de lutas que vai mobilizar o conjunto do funcionalismo. Entre as atividades está mais uma Jornada de Luta em Brasília que vai acontecer entre os dias 4 e 7 de julho.

A insatisfação com as idas e vindas e incapacidade do governo Bolsonaro em manter suas próprias propostas para o funcionalismo tem feito crescer a indignação entre os servidores. “Nós vamos continuar debatendo e dialogando para que a categoria amplie cada vez mais essa indignação”, avisa Sérgio Ronaldo da Silva, secretário-geral da Condsef/Fenadsef. “Eles tentam burlar as restrições de orçamento em uma série de situações. A gente sabe qual é a finalidade eleitoreira disso. A lição é dura, mas que o conjunto do funcionalismo aprenda. Sem luta não há conquista”, resumiu.

A Condsef/Fenadsef vai ainda enviar ofício ao Ministério do Trabalho e Previdência cobrando a continuidade do processo de diálogo para tratar as demandas específicas apresentadas enquanto servidores realizaram movimento grevista. O ministro José Carlos Oliveira se comprometeu, sob a condição de encerramento da greve, instituir um grupo permanente de discussão das condições de trabalho no MTP, autorizar termo de acordo para compensação de horas por participação de greve, bem como discutir um plano de carreira dos servidores.

 

Ex-Sucam

 

Na mesma semana, servidores da comissão nacional da ex-Sucam participam de uma força tarefa para cobrar do Congresso Nacional a instalação de Comissão Especial em busca da aprovação da PEC 101/19. A proposta busca assegurar plano de saúde aos servidores contaminados por manuseio de inseticidas como DDT no exercício de suas atividades profissionais. A Condsef/Fenadsef também segue cobrando o cumprimento da averbação do tempo insalubre dos servidores da Funasa e Ministério da Saúde.

Como parte do calendário de atividades a Confederação continua convocando encontros setoriais de sua base. Entre as demandas urgentes está a busca de uma reunião com a direção do Instituto Nacional de Metereologia (Inmet) para tratar uma situação que determina a remoção de servidores de GO, MT, AM e BA para outros estados da federação. Na pauta está também a luta contra atos de demissão de trabalhadores da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) que atingiram 75 anos. Orientações jurídicas já foram encaminhadas às entidades filiadas.

 

Funai e Ebserh

 

Servidores da Funai voltam a realizar um dia nacional de mobilização nesta quinta-feira (30/6). No último dia 23 a categoria promoveu um dia histórico com paralisação de atividades. Uma comissão foi recebida em Brasília pelo secretário-executivo adjunto do Ministério da Justiça e Segurança Pública, Washington Leonardo Bonini, que disse não estar autorizado a assumir nenhum compromisso formal pelo governo.

Os servidores seguem cobrando justiça para Bruno, Dom e Maxciel, servidor, jornalista e indigenista assassinados recentemente na Amazônia. Entidades filiadas continuam realizando debates e assembleias por local de trabalho da Funai para debater e organizar o processo de mobilização da campanha pelo o fortalecimento do órgão, abertura de negociação sobre a pauta de reivindicação e pelo Fora Marcelo Xavier, presidente do órgão.

Já os empregados da Ebserh voltam a se mobilizar em ato nacional no dia 8 de julho. A categoria luta para destravar três anos de negociações represadas com a empresa. Apesar de muitas tentativas de buscar um acordo com a direção da Ebserh, conflitos insistem em travar o processo de negociação por Acordo Coletivo de Trabalho justos para todas e todos. Inclusive, a mediação no Tribunal Superior do Trabalho (TST) segue pendente.

 

Confira o calendário:

 

27 e 29/06
Participação com as entidades da Educação das atividades da construção dos Ocupa Universidades, Institutos e Cefets.

30/06 
Dia nacional de mobilização e greve dos servidores da Funai.

04 a 07/07
Jornada de luta em Brasília nos moldes da PEC 32: pela recomposição dos orçamentos, pela reposição salarial, pela negociação coletiva e contra as privatizações.

04 e 05/07 
Recepção dos deputados e senadores nos aeroportos em Brasília e nos estados.

05/07 
Dia nacional de mobilização em Brasília ao lado do anexo II da câmara dos deputados – Contra as privatizações e pela recomposição dos orçamentos para os salários e benefícios dos servidores(as).

06/07
Reunião das entidades sindicais nacionais com os parlamentares sobre orçamentos, com vigília pela manhã e à tarde ao lado do anexo II da câmara e visita aos gabinetes dos parlamentares.

07/07 
Vigília em frente ao MEC.

08/07
Dia nacional de luta dos empregados(as), da Ebserh, com atos, protestos e mobilização nos estados, em defesa das negociações e avanços dos Acordos Coletivos de Trabalho pendentes. (Com agências)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *