Bloco “Filhos da Pública” arrasta foliões em defesa da saúde gratuita e respeito aos servidores

Representantes do Sintrasef na folia e na defesa da saúde da população (Fotos: Niko)

“Ei, você aí! Me dá o meu aumento aí!”, cantaram representantes do Sintrasef e de diversas categorias de servidores públicos em meio à população nesta quarta-feira (7/2), durante o animado e politizado desfile do bloco carnavalesco “Filhos da Pública”.

“Esse bloco aproveita o Carnaval para mostrar a população nosso protesto contra a entrada da Ebserh nos hospitais públicos. O Sintrasef e o povo na rua durante o Carnaval sabem que deverão lutar juntos contra o sucateamento da Saúde e pelos direitos dos servidores”, disse Cézar Augusto, diretor do Sintrasef e servidor do Ministério da Saúde, enquanto o bloco se concentrava em frente ao prédio do Ministério da Saúde, na rua México, no Centro.

Bateria aquecida, sindicalistas e passistas no abre alas, o bloco ganhou as ruas e empolgou trabalhadores foliões que iam e vinham na hora do almoço. Mariza Martins, contadora que acompanhou um pouco o bloco entre a avenida Almirante Barroso e a Avenida Graça Aranha, disse ter se identificado quando ouviu o refrão “Saúde na rua, Ebserh a culpa é sua!” e as explicações sobre o perigo da privatização disfarçada. “Não podemos admitir o SUS não ser 100% público! Na Covid quem deu conta do recado foram os médicos e enfermeiros do SUS, então eles sempre terão minha gratidão eterna. Estou do lado deles!”, disse ela, ao concordar com todas as reinvindicações que os sindicalistas divulgavam entre um samba e outro, entre elas o reajuste para servidores ativos e aposentados, aumento linear, plano de carreiras e concursos públicos.

Após dar a volta no quarteirão onde está localizado o prédio do Ministério da Saúde, o bloco ganhou a Cinelândia e seguiu para a Lapa. Na rua Evaristo da Veiga, apoteose ao passar em frente à Policlínica da prefeitura e ser ovacionado pelos servidores municipais, que das varandas do prédio faziam coro em “nossa luta é todo dia! Saúde não é mercadoria!”

O desfile se encerrou na escadaria Selarón, na Lapa, onde servidores misturaram-se a turistas e estes sentiram o gostinho de início de Carnaval na cidade e aprenderam a importância do serviço de saúde gratuito no país.

Nesta sexta-feira (9/2) é a vez do bloco dos mata-mosquitos. A concentração é às 16h, na rua Alcindo Guanabara, na Cinelândia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *